domingo, dezembro 31, 2006

Metade dos blogueiros estão saindo de férias, então, decidi reeditar alguns posts do ano que termina. E começarei pela mensagem de ano novo de 2005.

Aqui vai...



Na cama king size, na suite de mais de trinta metros quadrados, na cobertura de um dos prédios de um condomínio na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, enquanto era fodida pelo marido, gordo e suado, Dilma Salgado pensa, enquanto geme:

“Nove mil e quatrocentos reais!”

Geme, enquanto pensa.“

Como sou cliente. Consigo uns trinta por cento de desconto.”

Pensa, enquanto geme:

“Se eu chorar, a Fernanda não vai me negar uns quarenta por cento. Afinal, quem ficou pendurada no telefone, movimentando os meus contatos em Brasília para que o marido dela não se envolvesse naquele escândalo?”

Geme e pensa:

“Tá decidido, nesse ano novo, vou colocar mais um botox.”


Faminta e sem um puto, Dora Almeida estava em algum lugar nas proximidades da Praça da Sé. Parecia apenas mais uma sem teto, acompanhando com os olhos a multidão que passava, pra lá e pra cá. E não alguém que estava decidindo mudar sua vida.

“Neste ano novo, vou voltar pra minha terra. Não há mais felicidade aqui pra mim.”



Enquanto ele preparava mais um scoch, naquele bar, na Hudson, quase esquina com Canal St., no Soho novaiorquino, Bruce dizia a si mesmo:

“Pense bem! Aceite o convite da companhia de Boston. Eles não vão encenar A Noite do Iguana? Você sempre amou Tennessee Williams. Pense bem! Pode dar certo. Largue esta merda e se arrisque. Se não der certo, pelo menos você será mais feliz. Qualquer coisa é melhor do que a sua vida agora. Você merece e vai ser mais feliz neste ano.”



Descendo a Marylebone Road, em direção ás cercanias do Regent´s Park, completamente bêbado e sentindo um frio que só o calor humano podia aplacar, Brian não acreditou quando duas mãos decidas seguraram os seus braços. Eram dois policiais. E ele riu.

“Precisa de ajuda, sir?”, perguntou um deles.“Eu pensei que fosse...eu pensei...Ela me largou, sabiam? Se foi para Leads com um Paquistanês.”

“Para onde o senhor está indo?”

“Para a Baker Station. A estação parece que está mais longe hoje.”

“Tudo bem, vamos levá-lo até lá.”

“Mas por que vocês estão me prendendo? Um vagabundo roubou meu sobretudo, enquanto eu dormia no cinema. Londres virou uma Terra de Ninguém.”

“Não estamos prendendo o senhor. Só estamos evitando que se machuque.”

Ao ouvir aquelas palavras, Brian sentiu o frio subitamente diminuir. E ele guardou o seu riso nervoso e confidenciou, como se confidenciasse a um amigo:

“Neste ano novo eu vou procurar ajuda.”

“Bom para o senhor. Já estamos chegando.”

“Por que ela foi me trocar por um paquistanês?”

Brian tinha os olhos cheios d´água, emocionado com aqueles dois homens bons, que pareciam ouvi-lo. E ninguém costuma ouvir os bêbados. Ainda mais um bêbado que chora.


Nesse trailer, num subúrbio pobre, nos arredores de Detroit, há pouco tempo, morava Neil Forest. Havia ido parar neste moquifo após ser demitido da linha de montagem na industria automobilística da cidade. Não por ineficiência, mas por ter ferido a Lei Patriótica de Bush. Foi denunciado por um colega de trabalho, após de ter expressado sua revolta pela morte do irmão, Brad, no Iraque. Foi também abandonado por Sarah, sua mulher, que carregou as crianças para a casa dos pais, em algum lugar em Ohio. Com mais tempo para viajar na Web, Neil conheceu e se uniu a outros inconformados com a dor da perda de parentes e amigos, na podridão da guerra. Conheceu também Myra, com quem neste momento está indo para Tulsa, Oklahoma, se juntar a centenas de outros, talvez milhares, que criaram uma ONG que abrigará toda uma legião de outros que, no ano novo, pretendem acabar com a guerra.

Neil e Myra estão felizes. A industria automobilística sente falta de Neil e a recíproca não é verdadeira.


A idéia chegou a Gerrard, quando ele caminhava com Pauline, por uma ferrovia abandonada nos arredores de Lê Havre. Quando Pauline parou um instante para fazer suas necessidades, ele começou a imaginar o que diria a Amélie, que havia ficado em Paris. Era o primeiro final de ano que não passavam juntos.

“E se Deus quiser será o primeiro de muitos outros.”, pensou.

E em sua mente, rodava o diálogo futuro:

Eu: “Tenho o direito de ser feliz.”

Ela: “Ne fais pas l’idiot. La vie ne consiste pas à réciter des vers.

Eu: “Tenho sido idiota por todo este tempo, Amélie. Porque fui incapaz de admitir que nunca deu certo.”

Ela: “Je vais me venger de ce que tu!”

Eu: “Vingar do quê? Será melhor para nós dois. La vie est ce qu’on en fait!”

Ela: “Fous-moi la paix!”

Eu: “Não seja assim, Amélie. Neste ano novo, desejo que você seja tão feliz, quanto eu serei.”


Utilizando-se de uma vela encontrada numa lixeira, Hanna preparou mais uma dose. Estava nos fundos de um prédio abandonado há algumas quadras da Turnbull av., South Bronx. Um buraco escuro e cheirando a podre, mas onde os ventos gelados de nordeste não podiam encontrá-la. Estava só e sentiu medo. Sempre teve medo de morrer só, destino de vários companheiros.

“Meu bom Deus, me ajude a sobreviver a mais essa. A última. Neste ano novo vou entrar para o programa da Metadona. Hanna vai começar do zero e vai ser feliz.”

E fechou os olhos para não ver a agulha penetrando em seu braço magro.


Após dançar por toda noite, na pista da boate, na Lagoa, Zona Sul do Rio, Cris subtamente parou, sentindo um cansaço nunca sentido antes. Era como se sua alma tivesse pesando algumas toneladas. Ela estava cansada e quis que todos soubessem disso. De repente, parada, ali, na pista, o cansaço deu um lugar a um prazer suave. E ela começou a dançar leve e sensualmente, indiferente aos outros que a tinham como bêbada. Gostando daquela sensação inédita, pensou: "A felicidade deve ser assim. Eu quero finalmente ser feliz em 2007."

E todos eles serão felizes em 2007.

E para todos que levaram Bala em 2006, devolvo o carinho recebido, desejando que neste ano novo nada consiga barrar a multidão de momentos felizes que vocês viverão e que, juntos, farão deste ano novo, inesquecível.

20 Comments:

Anonymous DO said...

Gostei destes mini-sonhos,JULIO. Quem não os tem,não é?
Ainda mais hj,na tal famosa virada.
De vida,quem sbae!!

Um extraordinario 2007 à vc e aos seus.De coração!

Grande abraço!!

domingo, dezembro 31, 2006 10:48:00 AM  
Blogger Vera Fróes said...

Júlio, que os seus desejos se realizarm em 2007. Gostei muito de te conhecer.

Inté o próximo ano...

http://thumbsnap.com/v/brfkpj0B.jpg

Bjos.

domingo, dezembro 31, 2006 11:54:00 AM  
Anonymous cilene said...

Mudar e a chave..um 2007 especial..ate la..

domingo, dezembro 31, 2006 12:01:00 PM  
Blogger Yvonne said...

Achei legal esse texto. Que 2008 seja tão maravilhoso para você quanto 2007 que com certeza vai ser melhor do que 2006. Beijocas

domingo, dezembro 31, 2006 1:48:00 PM  
Anonymous Bruna said...

oI Júlio,

No dia 31 de dezembro do ano que vem vai republicar este mesmo post, né? ad eternum ...mas sou otimista, tenho esperança.

Que seus melhores sonhos se realizem!! Falar nisso, jogou na megasena? eita, 22 mijones.rsrs

Beijossssssssssss

domingo, dezembro 31, 2006 2:41:00 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Feliz seja 2007!
beijosssssssss

domingo, dezembro 31, 2006 3:01:00 PM  
Anonymous Zeca said...

Julio,

cada conto, um sonho a realizar-se com a chegada do novo ano... cada um sobrepõe-se ao outro e a indecisão não faz diferença; não existe um melhor que o outro. Todos são belos!

Hoje estou passando apenas para deixar meus votos de que o Novo Ano que nasce daquí a algumas horas traga de volta o Papai Noel. Não esqueça que o Novo Ano ainda é um bebê... e o Papai Noel, com sua boa vontade, trará um saco transbordante de saúde, paz, harmonia, compreensão, compaixão, boa vontade, sonhos novos, esperanças renovadas, alegrias expontâneas, conquistas, enormes vitórias e excelentes olfato e paladar, para sentir os doces aromas e sabores da vida, tão breve que merece ser vivida com paixão e alegria.

Abraços, amigo.

domingo, dezembro 31, 2006 7:54:00 PM  
Blogger Jôka P. said...

Julio, achei o máximo aquele novo music player em formato de chavinha que tem aqui no seu blog ! Como posso conseguir um ?
Um FELIZ 2007 pra você, tudo do bom e do melhor, tá !
Abç!
Jôka P.

segunda-feira, janeiro 01, 2007 6:28:00 PM  
Anonymous Flavio Prada said...

Julio, viajei nesse teu texto. Me lembrei dos tempos em que ficava à noite sintonizando rádios do mundo enquanto olhava o mapa imaginando o que estariam fazendo as pessoas naquele momento nos diversos locais. Fechou o ano com chave de ouro meu caro. Um grande 2007 pra voce! Ou melhor, nem grande nem pequeno, na medida. 365 dias tá bom?

terça-feira, janeiro 02, 2007 8:51:00 PM  
Anonymous Maitê said...

Todo mundo feliz Júlio é coisa de Hollywood. Adorei a miss Botox. Abs

terça-feira, janeiro 02, 2007 9:44:00 PM  
Blogger Jéssica said...

Texto lindo, de um ano atrás, mas tão atual, né? Lindo... Beijos e bom dia*.*

quarta-feira, janeiro 03, 2007 10:38:00 AM  
Anonymous Daniel Lopes said...

texto da pesada, hem Julio? é isso aí, já estamos na área.

quarta-feira, janeiro 03, 2007 11:26:00 AM  
Anonymous Daniel said...

Julio, desculpa, sou eu de novo. é que não consigo te mandar e-mail (todos voltam). é o seguinte, qual o html que tu usou pra colocar esse mp3 player do My Flash Fetish? fiz o meu, mas fiquei sabendo que pra postar no Blogger tem que ter uma tag especial. tu poderia mandar pro meu cararock@bol.com.br como ficou a tua html, pra eu poder alterar a minha? ou, se preferir, me passa aí outro e-mail teu pra eu mandar meu código e tu alterar assim como tu fez com o teu. podia ser?

quarta-feira, janeiro 03, 2007 12:47:00 PM  
Anonymous franka said...

legal o conto.
esquisito esse monte de blogueiro de férias mesmo.
beijo.

quarta-feira, janeiro 03, 2007 2:18:00 PM  
Blogger Davi Gustavo Matias said...

Bom post!!! Especialmente a parte do cara bêbado em Londres! A felicidade parece algo distante em dias de hoje, não?

Anyway, vai ver o caminho seja mesmo esses espasmos oníricos...

quarta-feira, janeiro 03, 2007 5:58:00 PM  
Anonymous Marília said...

Adoro seus posts. Muito sucesso pra vc em 2007. Beijos.

quarta-feira, janeiro 03, 2007 7:51:00 PM  
Blogger Jorge Ferreira said...

tamo junto!

quinta-feira, janeiro 04, 2007 2:04:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Antes tarde do que nunca, e eu, mais um blogueiro distraido, venho te desejar um 2007 Fantastico, cheio de realizacoes e alegrias.

quinta-feira, janeiro 04, 2007 8:52:00 AM  
Blogger Jorge Ferreira said...

huston 'e incrivel..mas aquele filme...ruinzinho que so!

quinta-feira, janeiro 04, 2007 4:04:00 PM  
Blogger Duda Bandit said...

uma passagem rápida, adorei o que li...

de férias, mas vou botar um conto hoje ou amanhã... se minha japa deixar...

até...

(viajo dia 08 e no fim do mês meu blog estará regular de novo, ao contrário do seu que não pára nunca...)

quinta-feira, janeiro 04, 2007 9:55:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home