terça-feira, dezembro 19, 2006

Drops


"Um dia, na rua Agostinho Menezes, onde então Nelson morava, um marido banana que era chutado como um cão pela esposa e ainda a bajulava, cansou-se do tratamento que vinha recebendo e, no meio da rua, deu uma sova de cinto na cara-metade. É claro que a vizinhança correu para ver o fato, sendo que as mulheres gritavam: "Bate mais, bate mais". O marido bateu até se cansar, parou, e então o inesperado aconteceu: a mulher atirou-se aos seus pés, aos beijos. E, desde aquele dia, passou a desfilar com o ex-banana, de braço dado e nariz empinado, toda orgulhosa. Ao ouvir os comentários das vizinhas que tinham apoiado maciçamente a surra, Nelson concluiu: "Toda mulher gosta de apanhar"."

Fonte: site Releituras

Foi esse episódio patético que levou Nelson a criar a coluna A Vida Como Ela É, em 1951, no jornal carioca Última Hora. O sucesso foi fenomenal durante os dez anos que durou. Em 1992 a Companhida das Letras lancou dois volumes com as melhores crônicas da coluna. Os livros tornaram-se best sellers, mas as edições se esgotaram e viraram peça de colecionador. Agora, 55 anos depois da estréia da mesma, a Editora Agir acabou de relançar uma nova coletânea das crônicas, dessa vez numa edição luxuosa. Nelson bem que merece. E nós também.


Apreenderam "Feliz Ano Novo"

"Feliz Ano Novo, de Rubem Fonseca - lançado em outubro de 1975, com várias edições esgotadas e total sucesso de público e de crítica - foi agora proibido em todo território nacional. Uma prova de que nem as mais austeras autoridades escapam da tentação de fazer humor negro. Aconselhamos a todos que receberem cartões do escritor desejando Feliz Ano Novo a se dirigirem ao posto policial mais próximo e entregarem a mensagem ao delegado mediante recibo, sob pena de serem acusados de cumplicidade numa atividade ilegal."
Jaguar - na coluna Dicas, do Pasquin de 27/12/76
Outro dia eu falei aqui sobre a famosa apreensão do livro de contos do Rubem Fonseca, há 30 anos atrás. Pois é, no site Portal Literal - link ao lado - estão várias matérias comentando a absurda atitude do governo militar, inclusive o decreto do Ministério da Justiça, proibindo a obra. E mais: todas as resenhas publicadas em jornais sobre o Rubem de 1963 até hoje. Imperdível.
Parabéns para nós
Mamãe ficaria orgulhosa ao saber que, no último sábado, fui escolhido Personalidade do Ano pela revista Time. Na verdade, eu e a torcida de todos os times. Na verdade, nós, internautas, fomos escolhidos por fazermos parte da imensa rede de troca de informações como YouTube, blogs, MySpace, etc, que segundo o editor da revista, nas bancas norte-americanas a partir desta segunda, "estão transformando a era da informação."
A imprensa mundial por várias vezes este ano já vinha declarando que o poder da informação já vinha mundando de mãos e se democratizando. Mas agora o fato de uma das revistas mais influentes assumirem este fato de forma tão grandiosa, só vem confirmar a grande revolução social que está se iniciando e da qual me sinto orgulhoso de participar.
Segundo Lev Grossman, escritor de tecnologia da Time e crítico literário: "A questão é a retirada do poder da mão de poucos, a colaboração gratuita e como isso irá não somente mudar o mundo, mas mudar a maneira como o mundo muda. A ferramenta que torna isso possível é a internet. É uma ferramenta que junta as pequenas contribuições de milhões de pessoas e as torna importantes.
E mais, na disputa pelo prêmio, nós vencemos candidatos de peso como os presidentes do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, e da China, Hu Jintao, o líder norte-coreano Kim Jong-il e o ex-secretário de Estado americano James Baker. Agora vamos combinar, nós merecemos, não?

9 Comments:

Blogger Yvonne said...

Também fiquei toda prosa por ter sido Personalidade do ano. Essa frase do NR foi terrível e por um bom tempo justificou a violência contra as mulheres. Não gosto. Beijocas

segunda-feira, dezembro 18, 2006 8:13:00 AM  
Anonymous DO said...

Pois então,parabens a todos nós,JULIO,heheheh
Muito merecido,viu.
Modéstia à parte!!
Abração!

segunda-feira, dezembro 18, 2006 11:49:00 AM  
Anonymous cilene said...

eu fiquei super feliz dei essa noticia no domingo..eu sou mulher nao gosto de apanhar...acho um horror...

segunda-feira, dezembro 18, 2006 3:52:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Julio o carteiro que se cuide...

mais sofisticado que as litogravuras são as aqurelas, também pouco valorizadas aqui no hemisfério sul, ao contrário do velho continente,

M. Toshiba

segunda-feira, dezembro 18, 2006 4:01:00 PM  
Anonymous Osimar Medeiros said...

Rap�, ando at� com guarda-costas...todas do sexo feminino claro!
Na verdade elas guardam � a frente!
:)

terça-feira, dezembro 19, 2006 1:41:00 AM  
Anonymous Mônica Montone said...

Uau, bom saber!!! Vou querer um livro de crônicas coooom certeza...

Beijos, querido Julio e um ótimo fim de ano,

MM

terça-feira, dezembro 19, 2006 2:41:00 AM  
Anonymous Maitê said...

Oi!

Depois que a Time disse que eu era importante, até esqueci que minha vida de jornalista é meio fracassada. Abs

terça-feira, dezembro 19, 2006 9:49:00 AM  
Anonymous Bruna said...

Tapinha só na hora certa. Grande Nelson, mas pisou na bola nessa frase.

Parabéns pra nóis! foi justo o prêmio!


Bjos

terça-feira, dezembro 19, 2006 10:51:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Frase de efeito! Gera polêmica até hoje! Ele seria um ótimo publicitário! (rs*)
Boa indicação de leitura, gosto muito do Rubem Fonseca.
"Você" é a pessoa mais importante!!
Cuide-se!!
Beijus

terça-feira, dezembro 19, 2006 11:43:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home